sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

TALITA

Pois é... Eu tive o meu desenvolvimento normal...
Sentei e andei no tempo certo.
Porém quando eu estava começando a andar, eu caí e bati a cabeça, mas tombo de criança, nada de novidade.
 Porém, em visita ao pediatra, ele viu que tinha algo de errado e eu comecei a não sentar mais sozinha e a ficar mole. O pediatra recomendou que eu fosse para um neuro urgente. 
Daí, meus pais procuraram um neuro e foi detectada a hidrocefalia, com um ano e 2 meses. Então, foi uma correria para achar um neuro, pois, na época, meus pais não tinham muitas condições. 
Primeiro, eles caíram na mão de um açougueiro, que estava mais interessado em dinheiro do que qualquer outra coisa. Como eles não confiaram no médico, foram atrás de outro.

Foi quando a assistente social da empresa que meu pai trabalhava na época apresentou o anjo, Dr. Valter, que era médico na empresa. Ele mandou que, no mesmo dia, meus pais me levassem ao consultório dele na Beneficência Portuguesa e já pediu exames e marcou a cirurgia.

 Na época, fiquei no hopital pelo SUS, então meus pais não puderam ficar comigo. Para eles, foi muito complicado, mas eu era novinha e nem sabia direito o que tava acontecendo. O neuro fez a cirurgia em mim num dia e no dia seguinte, logo cedo, quando eu pudia receber visitas, lá estavam meus pais. E para surpresa deles, eu já estava sentada na cama sozinha, brincando com a enfermeira. 

Daí tive alta, fui para casa toda feliz, comecei a andar logo e voltei ao meu desenvolvimento normal. Sempre fui uma criança muito esperta e feliz.
 Por isto, com 1 ano e 8 meses, eu caí e quebrei a válvula dentro da cabeça. Lá fui eu ser operada de novo. Foi um susto muito grande. Daí o neuro, a partir desse momento, atuou também como psicólogo para os meus pais...rs


Isto porque, depois desse tombo, meus pais queriam me colocar em uma redoma de vidro e o neuro deu uma bronca gigante neles, pois não é assim que tem que ser. Eu era e sou normal e precisava ter uma vida normal. Quando quis ir para escola, meus pais quase morreram...rs Demoraram tanto para achar uma escola que o Dr. Valter, de novo, teve que brigar com eles.
Frequentei escola regular e sempre fui uma das primeiras alunas da sala, nunca tive problemas de aprendizado e nem de preconceito. Não sei se é porque eu sempre levei tudo isso numa boa e nunca dei bola para nada, mas acho que, ou não tive ninguém com preconceito por perto ou eu nunca nem me toquei disso. 
Eu nunca gostei de esportes, então não sei se teria alguma contra indicação. A única coisa que eu gostava era de natação e de dança, o resto eu não me importava...rs Sempre fui muito preguiçosa... hahahaha Claro... Minha mãe conta que tinha uma vizinha que vivia com ‘dó” de mim, dizendo que eu era coitada, mas ela deu um corte na criatura, que nunca mais nem se aproximou da gente.

Depois da cirurgia com 1 ano e 8 meses, eu só operei com 9 anos, para aumentar o catéter. Com 17 anos, a válvula desconectou e eu tive que operar de novo, mas o médico não quis mexer na primeira válvula e optou por colocar outra do lado esquerdo. Esta durou até os 24 anos, quando tive que operar de novo. 

Detalhe: dessa vez não foi mais com o Dr. Valter porque ele se aposentou, então foi com outro médico da equipe dele, o Dr. Godoy. Nessa cirurgia, que foi em 2007, eu estava prestando a OAB, pois fiz faculdade de Direito e me formei em 12/2006.

 Daí, em maio fiz a primeira fase da OAB, passei e iria fazer a segunda fase, quando a valvula parou. Fiz a cirurgia; não tive nenhum probleminha, fui para casa, fiquei estudando em casa, depois arrumei emprego e comecei a trabalhar, fiz a prova, passei e hoje, graças a Deus, eu sou advogada.

No dia 10 de junho de 2008, dei outro sustinho. A válvula apresentou um mau funcionamento e precisei ser operada de novo. 
Olha só... Operei bem no dia dos namorados...rs Eu brinco que, mesmo sem namorado, eu ganhei presente. Ganhei a vida e um "chip" (como eu chamo a válvula) novo.

Fiz a cirurgia, nem fiquei na UTI, e logo tive alta As minhas recuperações sempre foram tranquilas e sem maiores problemas, então eu quase nunca ficava em UTI e logo ia para casa.

Daí, na Pascoa de 2009, eu estava fazendo um regime, pois estava com uma gastrite muito forte e ninguém conseguia fazer parar a dor, e eu fiquei com gripe. Até aí, normal. 
Acontece que, como eu não me alimentava direito, ao ficar com gripe, tomei um remédio e a minha glicemia abaixou muito e a pressão também. Desmaiei e bati a cabeça na pia do banheiro. 

Conclusão: corre pro hospital porque a cicatriz da cabeça abriu e o líquor estava vazando. Já no hospital, antes mesmo de fecharem o corte, já me entupiram de antibiótico, para evitar qualquer contagio na válvula.

No dia seguinte, na segunda logo cedinho, já operei de novo porque tinha que trocar a válvula para não ter nenhuma infecção. 
A cirurgia foi rapidinha, correu tudo muito bem, mas eu tive que ficar o dia e a noite toda na UTI porque precisava tomar antibiótico a cada 3 horas. Esse foi um susto e tanto.
Desde então, não operei mais, não dei mais sustos...rs
Hoje, como já disse, sou advogada, trabalho na área, faço trabalho voluntário na igreja perto de casa. Muito embora agora eu esteja um pouco afastada, não vejo a hora de voltar a fazer trabalho voluntário.

Dirijo, tirei carta normalmente. Adoro uma festa, uma farra...rs Namoro, viajo. Levo uma vida normal e sem restrições.

Sou uma pessoa muito alegre, confio demais em Deus, tanto é que nas minhas cirurgias eu sempre vou tranquila, pq sei que Deus está no comando de tudo. Sabe? Eu devo muito aos meus pais, pois eles sempre acreditaram em mim, sempre me ajudaram, me estimularam.
E se hoje eu sou o que sou, devo a eles e a Deus.

Bom... Isso é um pouco da minha história... Um beijo a todos e fiquem com Deus.

8 comentários:

Talita disse...

Meninasssssssssss ameiii as fotos que vcs colocaram, aliás pegaram as minhas preferidas. aquele q estou com o meu irmão vivo olhando, da uma saudadessssssssssssss... bjssssssssss

DANIELA disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

Teresinha disse...

Talitinha um doce de criatura, que historia linda para mostrar a tantas mamães que pode-se sim conviver muito bem com a hidro.
A alegria da Talitinha é contagiante e só deixa nosso blog ainda mais florido e cheio de esperança!!!!
Também adorei as fotos é que a modelo e muito linda !!!!!!

Teísa disse...

Talitinha! Que linda que ficou!!!!!!! Gostoso demais de ler, e as fotos....uma mais linda que a outra.
Um beijão enorme da mamis

Diana disse...

O q dizer da minha irmãzinha de alma, coração e q sabe tão bem quanto eu o q são algumas coisas q já passei nesta vida?????? Da história, eu já conhecia muitas partes, seja pelo q li na própria comu, seja pelo q ouvi de relatos ao vivo e a cores, narrados pela Tatá, com toda graça e doçura q lhe são peculiares... Ela é uma fofaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E eu sou fã de carteirinha... As fotos são lindas porque ela é uma bonequinha de louça... Sou muito orgulhosa de tê-la como amiga e de poder chamá-la de irmã... Uma pessoa linda e dupla face, por dentro e por fora... Eu sou privilegiada por tê-la do meu lado... Obrigada, mais uma vez, por percorrer o caminho comigo... Isto torna a estrada ainda mais especial... AMOOOOOOOO!!!!!!!!!

Alessandra Rodrigues disse...

Ah adorei! A forma de contar então... uma graça.
Parabéns Talita!
bjo

tata Sales disse...

você é linda,Parabéns pela força. Minha irmazinha tem hidrocefalia ela é uma princesinha Abençoada por Deus.
Parabéns !!!

tata Sales disse...

você é linda,Parabéns pela força. Minha irmazinha tem hidrocefalia ela é uma princesinha Abençoada por Deus.
Parabéns !!!

Postar um comentário

 

Seguidores

©  Copyright by HIDROCEFALIA

Blog design by Gizaa Veiga |Template Secret Garden | 2010 |Kit Scrap by Jaelop Designs