quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Mariana, Fé , Luta e Vitória

Bem... 
Tudo começou no dia 20 de julho de 2007, às quatro da madrugada... Acordei, depois de um sonho esquisito, com uma dor na barriga. 
Como eu já estava de nove meses, de uma gravidez tranqüila, sabia que era a Mariana querendo nascer, mas não tinha identificado essa dor como se fosse uma contração. Às sete da manhã, quando meu marido estava saindo para trabalhar, senti essa dor novamente. Ele até me perguntou se eu estava bem... Falei que sim.
       
  Às nove, ele me ligou e, nesse momento, senti novamente a dor. Já imaginava que a Mary iria nascer neste dia. Mesmo assim, falei que estava bem. Às dez, senti novamente a dor e, como estava no quintal, uma vizinha veio, viu que eu não estava bem e chamou minha mãe, enquanto eu achava que
era apenas um alerta. 
Resolvi ir tomar banho porque elas queriam que eu fosse para o hospital. Durante o banho, lembrei-me de uma vizinha e amiga enfermeira. Pedi para que a chamassem. Quando ela chegou em casa, eu estava saindo do banho. Ela me perguntou se a bolsa havia rompido. Falei que não e, quando acabei de falar, a bolsa rompeu.
       
  Foi até engraçado. Eu sabia que tinha muito líquido, mas não imaginava “tanto”. Nesse momento, resolveram chamar o SAMU, pois eu já estava tendo contração a cada dez minutos. A minha amiga ligou, disse que era auxiliar de enfermagem e pediu para que viessem logo porque a criança já estava para nascer.
 Em quinze minutos, a ambulância chegou em casa. Dentro da ambulância, me alertaram para
não fazer força porque era muito arriscado um bebê nascer ali. Apesar de ter todos os equipamentos necessários para o parto, tinha o risco da criança adquirir alguma infecção. Eu, na hora, segurei a vontade de fazer força.
         
 Às onze da manhã, cheguei ao hospital. Já tinha uma equipe completa me esperando e diziam que ela iria nascer em cinco minutos. Fui para sala de parto e comecei a fazer força. Fui assim até às três e meia da tarde, quando empurraram o bebê e viram que ela tinha virado e estava em posição longitudinal. Precisava de uma cesárea de emergência. Às quatro e meia, ela nasceu, com 3,380 kilos, 48 centímetros, nota de Apgar 8... Clinicamente, tudo bem, mas o pediatra, muito cuidadoso, desconfiou de que ela tinha Síndrome de Down, por estar com o rosto bastante inchado. Por isto, a levou para fica em observação.
         
  No dia seguinte, o outro pediatra a dispensou, pois o inchaço havia desaparecido e ela veio para o quarto comigo. Amei esse dia. Parecia ser surreal, mas, à noite, notei que ela não estava bem. Parecia que ela tinha cólica, chorava muito. Falava para as enfermeiras e elas diziam que não tinha nada e que eu, por ser mãe de primeira viagem, estava um pouco desorientada. No outro dia, ela estava muito molinha e já não acordava mais. Quando o pediatra chegou, já a mandou direto para a UTI neonatal.
        
 Estava com infecção generalizada, e precisou ser entubada. Com uma semana de vida, ela fez sua primeira cirurgia, para “retirada de partes do intestino”. Movimentou toda a equipe da neonatal para ir para o centro cirúrgico. Estava em coma e tinha chances mínimas de sair de lá, mas, graças a Deus, saiu. Só que, durante a cirurgia, ela teve um AVC hemorrágico de grau quatro, pois estava muito fraca e não estava resistindo a cirurgia.   Depois do procedimento cirúrgico, a Mary continuou muito mal e precisaram retirar mais partes do intestino.
         
 Ela estava com quinze dias de vida e, depois dessa cirurgia, ouvi uma das coisas mais angustiantes da minha vida. A cirurgiã gastro infantil saiu e me disse assustada: “Mãe, somente um milagre vai salvar sua filha. Eu fiz o meu
melhor, mas ela está tendo falência dos órgãos, o intestino dela está todo necrosado, apodrecido. É uma pele branca, sem vida nenhuma. O fígado e o baço estão com o dobro do tamanho. Só tem um dos rins funcionando e este funciona somente com 40% da capacidade. Retirei o que pude do intestino e somente Deus para dar vida novamente a ela...”
        
Chorei muito e pedia muita força para Deus. Esperavam que ela fizesse o cocô pela bolsinha, em uma semana e nada. Apesar de ter melhorado da infecção e estar acordada, ela não evacuava e eu não podia fazer mais nada por ela, somente esperar.
Teve um dia em que a pediatra do plantão me disse: “Faby, eu conheço sua fé, eu vejo você tão dedicada. Nunca desistiu de acreditar na vida dela, mesmo quando dizíamos que, talvez, ela não resistisse, que terá muitas seqüelas e, até quando pedimos para você trazer alguém para abençoá-la, antes de partir, você sempre acreditou que ela fosse ficar bem.Sempre disse que ela é de Deus, então ore bastante, peça muito a Deus para ela evacuar hoje porque não podemos esperar mais...”
          
Saí confiante de que Deus iria me ouvir. Naquela tarde, orei bastante e, à noite, eu vi parte da minha vitória. Estava suja a gaze dela. Chamei a enfermeira e ela me disse que era sangue. Eu não acreditei e chamei a pediatra, a mesma da manhã. Quando ela viu, seus olhos dela brilharam e ela chamou toda equipe para ver. Depois disso, passou a receber alimentação parenteral. Um mililitro a cada três horas e, mesmo assim, dilatava o abdômen. Aos poucos, ela foi melhorando e, em alguns dias, ela estava de novo na observação, só que, dessa vez, para ganhar peso.
     
    Como o intestino era muito curto e ela ficou muito tempo sem alimentação, entrou em desnutrição. Chegou a pesar 2,600 kilos. A Mary tomava Neo Cate. A nutricionista e o pediatra diziam que ela não tomaria meu leite, mas, mesmo assim, tinha fé de que ela mamaria de novo em mim... Tirava meu leite e jogava fora e fiz isso até que um dia, a fonoaudióloga, vendo que ela não pegava peso, começou a questionar. Como ela iria engordar com um leite sem gordura??? Um dia, ela conversou comigo. Disse-me que, se não desse certo, ela voltaria pra UTI e que não era para eu ficar muito animada não.
       
  Colocou a Mariana no peito para ver se ela pegava e ela mamou certinho. E o melhor: depois desse dia, ela começou a engordar e logo veio para casa, com três meses e vinte dias, ostomizada e tomando Neo Cate. Com o tempo, mudou o leite para Pregomim. Até aí, nem sabíamos que ela tinha hidrocefalia. Desconfiava, mas tinha outras prioridades. Com seis meses de vida, ela conseguiu o peso necessário para reverter a colostomia. Depois da reversão, notamos a cabeça dela crescer mais rápido e foi indicada a colocação da válvula.
       
  O doutor tentou colocar no peritônio, por três vezes, mas, pela quantidade de cicatrizes, não absorvia o liquor, que voltava e saía pelos pontos. Ainda foram muitas as idas e vindas de emergência ao hospital. A válvula foi colocada, primeiro no lado esquerdo, depois tentaram mais para cima. Em seguida, do lado direito e, por fim, próximo ao fígado. Até que a Mariana adquiriu meningite e ficou um mês com a DVE, que entupia e precisava ser trocada a cada semana. Voltou para a UTI, depois, retornou novamente para a pediatria.
        
Enquanto isso, o cirurgião estudava o que seria melhor para ela. Não poderia por o cateter no intestino, por causa das cicatrizes. Também não poderia ser colocado nos rins
porque ela já tinha feito duas diálises. Além disto, não podia por perto do coração porque a Mari já não tinha mais artérias para utilizar. Então, o neurologista pensou em mandá-la para o Hospital das Clínicas, em São Paulo, para onde iria um médico da Grécia para operá-la. Era uma cirurgia muito arriscada, em que iriam abrir a cabecinha dela e pegar uma artéria central para drenar o liquor.
       
  Pedi muito para Deus não permitir isso. Foi quando o cirurgião da Grécia entrou em contato com o Doutor que sempre operou a Mariana e pediu para por o cateter na pleura, como tentativa. E assim ele fez... Essa cirurgia deu certo e, graças a Deus, a Mary está com esta válvula até hoje. Teve umas intercorrências, sim, como pneumonias, derrame pleural e até uma atelectasia, mas não precisou
mexer na válvula. Com tudo o que passou, os médicos diziam que ela poderia ser “vegetativa extrema“... Um termo pesado, mas foi exatamente isto o que eu ouvi. Levei-a ao oftalmo e ele se espantou com tudo que ela teve. Nem estrabismo a Mariana adquiriu. Com um ano, nem o pescoço ela firmava e hoje, aos dois anos e meio, já fica até de pé e é muito esperta.
       
  Entretanto, para chegar até aqui, a luta foi muito grande. Tive muitas lágrimas, muito medo de perdê-la, muita força de vontade de pegá-la nos braços e ir buscar as melhores terapias para ela e as que cabiam no meu orçamento, muita
auto-estima para saber que ela é linda e perfeita aos olhos do Pai, dedicação e o mais importante: muita oração e fé.





A pequena  grande guerreira Mariana,é  filha da Faby, nossa companheira da comunidade. Se vc quiser saber mais sobre a história da Mari, leia o tópico:
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=3168245&tid=2524266184545505791&na=4&nst=384&nid=3168245-2524266184545505791-5434007483991410212


P.S:atelectasia : quando o pulmão tem um colapso ele para de funcionar de um lado ou em alguma parte e murcha,
isso geralmente ocorre quando tem um acumulo de liquido ou algum objeto no caso da Mary é os dois o liquor e o cateter

20 comentários:

Fabiana disse...

Ameiii rsrsrsrrsrsrsr

Alê disse...

Lindoooooo,lagrimas descem no meu rosto agora pela coragem e garra tanto da Faby quanto da Mari...Admiro muito vcs duas...levo o exemplo de vcs comigo de agora e pra sempre...
Deus abençõe cada dia mais vcs!!!
bJSS Alê

Marisa Jandira disse...

Guerreiras e vencedoras!!!!!Que Deus sempre as abençõe!!!!!!bjokas,Marisa.

lucineia disse...

PARABÉNS...PELA GRANDE VITÓRIA....
AGRADEÇA MTO A DEUS POIS ELE É O DONO DA VIDA..E DEU A VIDA NOVAMENTE AO ANJO "MARIANA"
QUE DEUS CONTINUE ABENÇOANDO GRANDEMENTE A VIDA DE VCS....
UM BEIJO NA LINDA MARIANA......

DEUS ABENÇOE SEMPRE...

Teresinha disse...

Mariana Fé, luta e vitoria, isso define bem , só com muita Fé em Deus para nunca aceitar a palavra de um unico medico, nunca desistir, nunca perder a fé, sempre acreditar que para DEUS a palavra impossivel não existe. Parabens Faby por ser essa mãe guerreira , por você hoje a Mariana é essa garota linda e meiga !!!!!

evonete disse...

A MARIANA E A NOSSA GUERREIRA
ADIN=MIRO MUITO A FORÇA DE VONTADE QUE ESSA BAIXINHA DEVE PARA VIVER ESPERO QUE DEUS ABENÇOEI MUITO ELA DO QUE ELE JA ABENÇOU BJS MARY VC E VITORIOSA

cleudileny disse...

Faby o meu filho tbm tem hidro nasceu no mesmo dia da sua filha sua historia mim emocinou muito fico feliz por vcs isso que é ser uma verdadeira guerreira ...Que deus continue abençoando vcs

dicasampaio disse...

Faby!!!!!!!!!!!!!! A sua Mary, a nossa Mary tb me emocionou mto... Eu lia e chorava, como em tantas outras vezes na nossa comu... Linda história, brava e forte história... De luta, conquista, vitória... Vcs são guerreiras e vitoriosas e a Mary é linda demaisssssss!!!!!!!!!!!! Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!

Teísa disse...

sem palavras..... Lindo demais!!!!!!

Erivelto de Moraes disse...

Preciso tomar agua, pois o que eu tinha chorei tudo agora!!! rsrsrsr
Que história hein!! que vitória!!
Parabéns pra vcs Faby e que que DEUS sempre vos acompanhe!!!
Abraçossssssss

Camila Sant'Anna disse...

linda historia de vida viu...

saude a vcs duas
que Deus a acompanhem sempre

patricia disse...

Faby apesar de conhecer essa historia naum deu para naõ se emocionar,nossa mary é e sempre sera vitoriosa ,bjus no S2.

Elaine disse...

Faby, vc tem uma super guerreira ao seu lado! Parabéns pela sua força e garra e principalmente pela vitória!
Amei sua história!
Bjs

shu disse...

Noossa simplesmente linda a história de vcs...A mary é realmente um presente...q a vida dela seja linda e repleta de amorr... mil bjus Suehellen

kaizemarina disse...

Fabiana linda sua historia,meus olhos encheram de lagrimas,vocês duas são guerreiras e vitoriosas,que apesar de toda dificuldade que passaram estão ai fortes e venceram os obstaculos. a Mariana e linda D+++ ja nasceu guerreira vitoriosa,a Meme esta aqui vendo as fotinhos dela falando nenem e mandando beijos.
Parabens e que Deus continue as abençoando muito,muita força ,Graças a Deus a Mariana esta forte ,esperta e superando todas as dificuldades que possa ter. Ela e fofa D+++
adorei ter conhecido vocês!!!beijos com carinho Marina e Melissa

juan_vng disse...

Q LINDO... Q DEUS CONTINUE ABENÇOANDO ESSE ANJINHO Q COLOCOU NA SUA VIDA..

JUAN

Seall disse...

Oi entrei aqui pq sou mãe tb e me comovi demais com sua historia imagino a sua dor só de imaginar passar pela dor de perde-la, mas ela é linda demais espero que cada dia mais ela fique livre de tudo que de mau.
bjs querida fica com Deus

meublog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cássia Miranda disse...

Nossa!!Não sabia da história da filha de vocês...
Parabéns pela fé...
Me emocionou...
Deus realmente é fiel...

Alessandra Almeida disse...

Muita linda a história da Mary, mais linda é ela pessoalmente eu tenho o prazer de conhecer essa criança maravilhosa e guerreira, e Faby vc foi a escolhida de Deus p cuidar desse anjo aqui na terra que Deus sempre abençoe grandemente vcs 🙌💕😘

Postar um comentário

 

Seguidores

©  Copyright by HIDROCEFALIA

Blog design by Gizaa Veiga |Template Secret Garden | 2010 |Kit Scrap by Jaelop Designs