MEU FILHO GABRIEL

domingo, 27 de março de 2011
 Eu sempre quis ser mãe quando tive meu primeiro filho foi ótimo era um menino lindo que se chama Lucas.


 Quando ele tinha 04 anos fiquei sabendo que estava grávida de novo, mais uma alegria.
Eu e o Marcelo sempre falávamos que queríamos ter 02 filhos, perfeito tudo como queríamos uma gravidez aparentemente tranquila.
 Fiz o pré-natal direitinho não abusei na alimentação, me cuidei bem mais que na primeira gravidez, mas algo me dizia que não estava tudo assim tão bem, o Gabriel não mexia na barriga, mas os médicos diziam que estava tudo bem.
 
Então quando fui fazer uns exames fiquei sabendo que o Gabriel teria hidrocefalia, nossa que susto! 
Muita coisa se fala sem saber sobre certos problemas, mas o médico nos tranqüilizou e disse que ele faria uma cirurgia de colocação de válvula e seria tudo normal.

Mas mãe é mãe aquele aperto no coração não me deixava, minha médica resolveu fazer então uma cesariana,  foi um dia que jamais esquecerei ,  foi um susto ate para médica.
O Gabriel também tinha mielo, estava com os 02 pés tortos também, foi um corre corre e eu sem ver nada direito ,passei mal precisei ate de oxigênio, vi que sairaM correndo com ele e nem me mostraram.

 A médica então perguntou se eu queria que ela me falasse agora ou depois com meu marido, é claro que quis saber na hora, foi como se eu tivesse levado uma pancada, fiquei chocada contudo que ela me disse, e eu ali sem poder fazer algo...

Quando cheguei no quarto o Marcelo me disse que iria levar ele para Porto Alegre, a pediatra queria que esperassemos ate segunda feira

Era sábado mas o Marcelo ligou para um neuro que me tratou por anos e ele nos indicou e ligou pra um médico na Santa Casa que iria cuidar do Biel, mal pude dar um beijinho nele.
 Meu marido foi sozinho com ele de ambulância  mais de  500km daqui, moramos no interior não temos neuro.
 
Tenho muito orgulho do Marcelo, meu marido ele foi forte na época um jovem pai de 26 anos sair assim sozinho com um filho sem saber o que vem pela frente, ele só pensava no Biel. 
Com 72hrs ele fez a primeira cirurgia de correção da medula.
A cirurgia foi bem sucedida ele ficou na uti pra se recuperar e eu tão longe sem ver ele sem poder tocar, chorei muito quando tive que sair do hospital sem meu bebê, chegar em casa e ver tudo ali o berço ,o carrinho sem ele, vazio.... 

Então fui pra Porto Alegre também quando cheguei no hospital ele já estava no quarto me senti como se estivesse dando a luz de novo, pegar ele junto do meu peito e sentir ele ali tão frágil e forte ao mesmo tempo.
 Lutando ele olhava pra gente e sorria acho que não sentia dor, adorava dormir segurando o dedo do pai ou o meu dedo. O médico nos disse todas aquelas coisas....
 Que ele não andaria, talvez tivesse dificuldades pra falar etc...

Mas pra nós nada importava só queríamos nosso anjo bem do nosso lado.
 Com 01 mês fez a cirurgia pra colocar a válvula foi tudo bem continua com a mesma ate hoje nunca teve problemas com ela.Fez uma operação de hérnia e com 1 ano fez a correção dos pés. 



Nos primeiros dias fiquei um pouco triste mas o Marcelo me deu uma sacudida e me fez ver que nada mudaria o amor que sentíamos por nosso filho. 
 Fui abençoada pois tenho um filho especial que me fez ver a vida de outra maneira, viver e ser feliz é o que importa ...
 Hoje vejo que a luta que tivemos foi pequena perto da luta que temos agora e que vira pela frente que é o preconceito. 
No ano passado foi pra escola passou por tudo como uma criança normal, superou os olhares as perguntas indiscretas de algumas pessoas , não das crianças mas dos adultos. 

Ele é muito comunicativo e feliz, me sinto orgulhosa por ser sua mãe, adoro quando vem me dizer que meu filho é lindo e especial ele cativa as pessoas com seu jeito cheguei de ser, ele é sincero quando não gosta de algo fala logo, esta sempre questionando.

 Quando começou a treinar a marcha no ano passado me perguntou :por que eu não caminho, eu nunca vou caminhar? E lá fui eu explicar pra ele mas acho que ele na maioria das vezes quer é nos testar para ver se não mudamos a resposta. 
Ele agora com 5 anos esta freqüentando a associação dos deficientes físicos faz hidro 02 vezes  por semana e fisio 03 vezes.
Vai começar esse ano a treinar basket esporte que ele adora, é uma criança que joga futebol, gosta de dançar, passear, e podem acreditar adora namorar kkkk, tudo do jeito dele.
Um dia alguém disse mas ele é doente eu respondi que não; ele é saudável só tem uma limitação.
 Então ele me disse mãe que burrice só por que eu to na cadeira pensam que eu to doente haaaa....
 Essa é a nossa história com muitos altos e baixos mas podem ter certeza mais alegrias do que tristezas.
O  principal para sermos felizes é aceitarmos cada um do seu jeito, lutarmos por nossos anjos sem a preocupação de que alguém vá nos julgar por essa ou aquela atitude, afinal nos mães e pais de crianças especiais sabemos o quanto vale um sorriso dos nossos pequenos grandes guerreiros. 
Obrigada pessoal pela energia positiva que essa comunidade esta sempre trocando ...
Beijos
Continua... 8 comentários

Sarah silva "milagre de Deus"

terça-feira, 8 de março de 2011


Meu nome é Kelly sou casada mãe de dois filhos maravilhosos o Kleber de 08 anos e a Sarah fez 02 anos agora dia 19 de janeiro.


Depois de 02 anos de casada engravidei, foi uma felicidade imensa porque todos esperavam uma netinha.

MAs no primeiro ultra-som descobri que era uma menina e também que ela nasceria com hidrocefalia, foi um susto muito grande, não sabia o que fazer e fui para o acompanhamento de gravidez de alto risco,
 lá me falaram que se quisesse poderia abortar minha bebê porque ela não resistiria fora da minha barriga; 

Me neguei entreguei nas mãos de Deus e fui até o fim. Todo mês era uma ultra-som para ver como ela estava, e eu sempre na esperança deles estarem enganados, mas não, toda vez era confirmada. 
Mas Deus estava conosco todos os momentos.
No dia 19/01/2009 nasceu minha princesa com 54cm e pesando 4.500kg, enorme linda, minha menina tinha nascido estava ali chorando do meu lado que maravilha. 

No 3° dia de vida veio a Doutora e me disse:" Sua filha nasceu quase sem cérebro é só uma casquinha ela tem menos de 3% de massa encefálica, ela não vai resistir, ela não vai falar, não vai comer.
Não ouve nada, e andar nem pensar ela não vai nem se mexer vou operá-la mas não tenha esperanças,ela não vai passar de 3 meses de vida se chegar até lá''.

Foi desesperador chorei muito mas Deus estava no controle, com 8 dias ela passou pela 1° cirurgia pra colocação da DVP ( a válvula), com 12 dias estávamos em casa e toda corria muito bem, até q com 3 meses ela teve q trocar a válvula, depois trocou com 5 meses e todo mês ela tinha q trocar a válvula no total foram 5 troca de válvula e + 2 cirurgias bem complicadas.

Ela já teve muitas complicações no seu 1° ano de vida, mas em janeiro de 2010 ela fez a ultima cirurgia e depois disso não precisou operar mais graças a Deus ele nunca nos abandonou.
aprendi a dar valor a cada dia ao lado da minha filha, e da minha família. 

Minha filha já foi Desenganada inúmeras vezes ela já foi pra CTI, já teve parada cardíaca, varias pneumonias, até dengue...







...Mas o médico dos médicos nunca me desamparou, e sempre nos deu força e esperança.
Amigas hoje minha filha ouve, fala algumas palavras como MAMAE, enxerga, só q andar AINDA não anda mais rola pra tudo lugar. E eu creio q minha filha vai andar não sei se hoje ou amanha mais ela vai andar.


E o que eu e minha família sentimos por ela é um AMOR tão grande que não tem explicação. 
Agradeço a Deus todos os dias por ter me dado esse presente maravilhoso pra eu cuidar e amar muito, muito, filha te amo


Esse é um pouquinho da minha historia.
Beijus
Continua... 7 comentários

PEDRINHO OU SIMPLEMSMENTE PEPÊ

sábado, 5 de março de 2011

Quando minha filha Lucinny completou cinco aninhos resolvemos que já estava na hora de dar um irmãozinho a ela. 
Entregamos a Deus em oração este nosso desejo.
 Rezávamos junto o terço todas as noites e logo engravidei.
 Foi uma festa só. Eu tinha certeza que seria um menino. 
Desde quando eu era criança falava que um dia teria um menininho loirinho com cabelinho tigelinha. Meu sonho...

Estava indo tudo bem.
 Até que no quarto mês de gestação quando fui fazer um Ultra-som para saber o sexo do bebê, e veio à bomba sobre nossas cabeças. 
Ficamos sabendo que eram gêmeos e que apenas um dos bebes tinha vida, o outro, havia gerado apenas as pernas (do umbigo para baixo era apenas membros).

 Foi o que os médicos nos falaram. O outro bebe estava com hidrocefalia. 
A médica me falou agora é com vocês, ou leva a gravidez em frente e vê o que acontece ou faz um aborto e corta o mal pela raiz. Nesta hora meu mundo caiu.

 Fiquei muito assustada, pois, nem os médicos haviam visto um caso assim.
Começaram então os exames.
 Achavam que os bebes pudessem estar grudados um no outro. Disseram-me que não tinha como se formar apenas as pernas, já que a primeira coisa que se forma em um bebe é o tronco e cabeça.
 A única explicação seria estar saindo da coluna do Pedro. Mas graças a Deus depois de um batalhão de exames viram que estavam separados
. A hidrocefalia do Pedro a cada ultra-som que fazia aumentava. Os médicos tentavam tirar minhas esperanças... 
Diziam que ele não viveria após o parto. Que iria ficar meses no hospital e teria muitas complicações, poderia não andar, poderia ser cego. 
Entreguei tudo nas mãos de Deus. Rezava muito, todos os dias com a canção Nova. Rezava o terço da misericórdia todos os dias às 3 horas da tarde. 
Rezava de manhã e me entregava totalmente a Deus nas missas de quarta-feira com o Padre Edenilson da canção Nova.
 Nestes dias eu retomava toda minha esperança e tinha certeza de que tudo ia dar certo. Deus estava tomando conta do meu bebe.
Um dia fui há um grupo de oração aqui na minha cidade. Havia vindo um pregador de fora e ele não sabia de nada, mas, no momento de oração, cura e libertação, ele proclamou que o Espírito Santo tocava uma criança ainda no ventre de sua mãe e que essa criança estava sendo liberta.
 Neste momento todos que estavam lá e sabiam do meu bebe começaram a chorar eu então desabei em lagrimas. 
Fiquei tranquila, pois foi à confirmação de Deus para mim, que, meu bebe iria nascer bem.
E foi exatamente que aconteceu.

 Com oito meses fiz uma cesariana e para a surpresa dos médicos, meu Pedro nasceu super bem, com 3 quilos e 47 cm. 
Respirou sozinho e no segundo dia já estava mamando no peito. A água da cabecinha começou a diminuir sozinha. 
Mesmo assim, os médicos acharam melhor ele ficar uns dias no hospital em observação. Para ver se iria ser preciso colocar uma válvula. 

Nos três primeiros dias a água diminuiu, e no quarto dia ele ia receber alta, mas fez a cirurgia, e mais uma vez, graças a Deus foi um sucesso.
 Dois dias depois ele já estava em casa.
Há e dois dias antes da cesariana a Lucinny minha filha com cinco anos na época, acordou de manhã e me falou: “mamãe Jesus estava no meu quarto esta noite e eu fiquei com medo. Tentei gritar, mas ele me falou que eu não precisava ficar com medo por que ele era Jesus. Dai eu fiquei quietinha e ele me falou que é para você mamãe não ter medo que tudo vai dar certo. Ele esta cuidando de nós.”
Pronto né? Lá vamos-nos desabarmos em lagrimas de novo. Foi mais uma confirmação de Deus que tudo ia correr bem.

Pedro foi crescendo e mostrando ser diferente das outras crianças. Desde os cinco meses quando começou a ver crucifixo, ficava doidinho, querendo pegar. 
Quando via um na parede de qualquer lugar, começava a apontar e querer pegar de qualquer jeito. Era apaixonado por Jesus na Eucaristia. 

Ficava paralisado olhando e parecia que tava vendo Jesus mesmo. 
Fomos a um retiro de carnaval e ele ficou correndo atrás do Padre que estava passeando no meio do povo com Jesus.
 Meu marido o pegou no colo para o Pedro poder tocar em Jesus. 
Pedro olhou pra Jesus e ficou com medo, agarrou meu marido, e de repente olhou de novo e deu um abraço tão forte em Jesus, tenho certeza que ele O viu. 
Naquele dia parecia que estava abraçando alguém de carne e osso, e não o ostensório sabe, foi lindo.

Não imaginava que, apenas uma semana depois, Pedro fosse abraçá-lo de verdade. Pedro estava com um ano e 10 meses.
 Lindo e esperto, já esta falando de tudo até cantar cantava. 
Andava pela casa toda e estava super sapeca, lindo... Quando assistia a missa na TV, beijava a tela quando passava JESUS. Assistia a canção nova e falava:   “nova, mamãe, nova...”  Era para eu colocar na TV e ele assistir. 
Pedro andava com uma cruz para cima e para baixo, onde fosse levava ela.
 Também era apaixonado por nossa Senhora, onde visse um quadro ou uma imagem começava a gritar:   “mãezinha, mãezinha”. Eu cheguei a ter ciúmes. Vê se pode. Infelizmente DEUS quis levá-lo de mim e hoje Pedrinho mora lá com ele.
No dia 27 de Dezembro de 2008, meu Pedro passou mal e acordou vomitando. 
Levei-o pro hospital onde ficou internado por seis dias. 
Nestes dias os médicos fizeram tudo o que é exame. Todos normais.
 Até de meningite ele fez e deu normal. Então acharam que era a válvula da cabeça que estava com problemas. 
Na tomografia tava tudo normal. Então fizeram um ultra-som e me falaram que ele estava com infecção no intestino. Tomou antibiótico e melhorou.

 Fomos para casa e ele ficou super bem como se nada tivesse acontecido. Passamos o mês de Janeiro inteiro e ele ficou bem.
 Em Fevereiro fomos três vezes ao hospital com ele vomitando e sempre ele ficava internado.
 Passava um dia inteiro tomando soro e vomitando. Nestes dias ele só dormia e quando acordava, estava bem, como se nada tivesse acontecido.
 Os médicos me falavam que era virose. Os exames sempre davam normais, e ele sempre ficava bem. Porém, no dia 18 de fevereiro aconteceu outra vez. 

Ele estava super bem, brincando e, de repente dormiu. Quando acordou estava branco e mole. Corri para o hospital e meu Pedro ficou internado outra vez. Era uma segunda-feira, e começou tudo de novo, um monte de exames.
 Todos com resultados normais.
 Ele fez outra tomografia que também estava perfeita. Mas meu filho piorava cada vez mais. Eu ali, desesperada, vendo meu filho morrendo e os médicos dizendo que não sabiam o que ele tinha. 
Na terça-feira o pediatra passou, examinou e disse que o Pedro estava bem, que não tinha nada com a parte pediátrica.
 Indicou-nos um neuro, mas o neuro só veio de noite e repetiu a tomografia
 Falou-me que não tinha nada, tava normal e pediu para chamarem uma neuropediatra para examiná-lo, mas ela nunca apareceu. 
Nesta noite meu Pedro gritou a noite toda como se estivesse vendo coisa. Gritava tanto que o hospital todo ouvia. 

Parecia mais medo do que dor sabe. Fiquei muito assustada com isso. 
Ele nem me reconhecia mais. Na quarta-feira só dormiu. 
Depois começou a ter convulsões incontroláveis no meu colo. Sai correndo e chamei as enfermeiras que não conseguiam pegar nenhuma veia para colocar o remédio. 
Ele não parava mais de convulsionar. Levaram correndo para UTI. Chegando lá ele teve uma parada respiratória e o entubaram. Quando conseguiram controlar as convulsões o neurocirurgião dele chegou e o mandou direto para sala de cirurgia. 
Ele disse que mesmo com a tomografia normal iria abrir a cabecinha dele para ver a válvula. Quando abril viu que estava mesmo entupida. Ele a trocou e mandou o Pedro de volta para UTI.
 Nos chamaram para vê-lo e nos falaram que ele estava bem, que estava estável. Mandaram-nos ir para casa para descansar e foi o que fizemos. 
Mas no outro dia bem cedinho fomos correndo para o hospital. 
Quando entramos na UTI o médico nos falou que ele havia entrado em coma profundo e que o neuro estava vindo examiná-lo. Nesta hora senti que iria morrer, pois já havia entendido que meu filho estava morto. 
Eu abri o olhinho dele e vi que ele não estava mais ali. Os médicos fizeram os exames e confirmaram que ele teve morte encefálica. 

Que ainda teriam que repetir os exames mais 02 vezes, de 12 em 12 horas. 
Isso pra mim foi o mais difícil, fiquei ali do lado dele 24 horas sabendo que ele não estava mais ali.
 Depois resolvemos doar os órgãos dele e isso demorou ainda mais. Tiveram de fazer mais exames e a cirurgia para retirada dos órgãos. 
Esse processo levou 02 dias para liberar o corpinho dele. Faleceu na quinta-feira de manha e só foi liberado no sábado de madrugada.
Sabe, isso tudo ainda dói muito. 
Eu tinha a mais linda e perfeita criança do mundo, e de repente este vazio enorme em meu coração. Este sentimento de culpa, pois, vi que ele estava morrendo.


Sei lá, podia ter levado em outro hospital, chamado outro médico. 
Sei que se eles tivessem agido antes meu filho estaria vivo, ele só faleceu por causa das convulsões. 
Já senti de tudo. Já me senti culpada, depois culpei a DEUS e falei que ele não tinha o direito de fazer isso comigo. 
Depois culpei os médicos pela demora. Hoje estou em paz com DEUS e agradeço a ele por ter me dado este tempo que tive com Pedrinho. 
Agora o único sentimento que tenho é a saudade. Já não culpo a Deus por ter tirado ele de mim. Agradeço sim, por ter me dado o mais lindo anjo do céu pra ter cuidado durante um ano 10 meses e 15 dias. Obrigada meu Deus.
Hoje quase 3 anos depois temos o Matheus com 1 ano e 9 meses, lindo e normal  adora carrinho apronta o dia todo como qualquer outro menino nesta idade, e graças a Deus somos muito felizes....



Assim foi meu filho Pedro, exemplo de amor e ternura, cada dia q passou conosco, podemos sentir a presença constante de Deus e o valor da vida, seu amor incondicional por Jesus mudou meu coração, presente de Deus, como Pai só posso agradecer a Deus, pois pude presenciar a vida de um pequeno Santo nos dias de hoje aqui na minha casa, meu coração se alegra pois creio q quando eu for pra la no céu uma parte de mim ( a melhor parte por sinal) me recebera junto com o Senhor e Maria nossa Mae!! 

ass. Lucinei.....Papai de um anjo!!!

Continua... 8 comentários
 

Seguidores

©  Copyright by HIDROCEFALIA

Blog design by Gizaa Veiga |Template Secret Garden | 2010 |Kit Scrap by Jaelop Designs